PUBLICIDADE
Actualidade

Pelo menos 700 familiares de membros do Estado Islâmico mortos em campos na Síria - ONU

10 | 07 | 2020   07.56H

O chefe antiterrorismo das Nações Unidas disse que 700 pessoas morreram recentemente em dois campos no nordeste da Síria, onde cerca de 70.000 estão detidas, principalmente mulheres e crianças ligadas aos combatentes do Estado Islâmico.

As cerca de 70.000 pessoas estão detidas em "condições muito difíceis", apontou Vladimir Vorontsov, durante uma conferência de imprensa na quinta-feira, indicando que as pessoas, incluindo crianças, morreram por "falta de medicamentos e de comida" nos campos al-Hol e Roj, que são supervisionados por forças lideradas por curdos aliados dos Estados Unidos na luta contra o grupo 'jihadista'.

As mortes nos campos criaram "sentimentos de raiva", denunciou o responsável.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE