PUBLICIDADE
BES

PCP diz que responsabilidade política "ainda tem de ser apurada" sem excluir novo inquérito

15 | 07 | 2020   18.16H

O PCP defendeu hoje que a acusação no caso BES não apaga a necessidade de apurar responsabilidades políticas, sem afastar a possibilidade de um novo inquérito parlamentar sobre "a continuação do buraco sem fundo" no Novo Banco.

Em declarações aos jornalistas no parlamento, o deputado comunista Duarte Alves defendeu que o processo judicial "deve prosseguir e apurar todas as responsabilidades criminais" e considerou que a acusação conhecida na terça-feira "vai ao encontro da intervenção do PCP" na comissão parlamentar de inquérito ao Banco Espírito Santo (BES), quando rejeitou a ideia de que "as responsabilidades deviam ser centradas numa só pessoa", no caso o ex-banqueiro Ricardo Salgado.

"Considerámos na altura que a resposta era muito mais ampla não só no universo BES, como também em quadros com responsabilidades políticas ao mais alto nível", defendeu, justificando que essa foi a razão para o partido ter sido o único a votar contra o relatório da comissão de inquérito.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE