PUBLICIDADE
Actualidade

Luís Filipe Vieira e Benfica SAD também investigados por branqueamento de capitais

15 | 07 | 2020   20.29H

A investigação que levou à constituição como arguidos do presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, e da SAD do clube, incidiu sobre fraude fiscal, mas também sobre branqueamento de capitais, esclareceu à Lusa fonte da Procuradoria-Geral da República (PGR).

"Clarifica-se que as diligências tiveram lugar no âmbito de um inquérito onde se investigam os crimes de fraude fiscal e branqueamento", apontou à Lusa fonte da PGR, um dia depois de ser confirmada a constituição como arguidos de Luís Filipe Vieira e do administrador Domingos Soares de Oliveira, enquanto representantes legais da Benfica SAD e da Benfica Estádio, segundo comunicado dos 'encarnados' à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

As investigações estão integradas na operação 'saco azul', incidindo sobre a obtenção de "vantagem patrimonial indevida" por aquelas sociedades nos anos 2016 e 2017.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE