PUBLICIDADE
Actualidade

CEDEAO ameaça com sanções quem se opor à normalização no Mali

27 | 07 | 2020   18.27H

Os chefes de Estado dos 15 países da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), reunidos hoje em cimeira virtual para discutirem crise no Mali, previram um regime de sanções contra quem se opuser ao processo de normalização naquele país.

O atual presidente da organização regional, o chefe de estado nigerino, Mahamadou Issoufou, disse hoje, no final da reunião, que iriam ser tomadas medidas "contra aqueles que tomassem decisões contrárias ao processo de normalização", que será implementado no Mali antes de sexta-feira.

A cimeira da CEDEAO exige a demissão dos 31 deputados "mal eleitos", uma das principais questões que conduziram à nova vaga de protestos violentos no Mali, mas prevê a permanência do Presidente Ibrahim Boubacar Keita no poder.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE