PUBLICIDADE
Actualidade

ONU defende inclusão da Junta Militar da Renamo no desarmamento e desmobilização em Moçambique

06 | 08 | 2020   19.05H

O enviado pessoal do secretário-geral das Nações Unidas a Moçambique defendeu hoje que a Junta Militar da Renamo, uma dissidência armada do principal partido da oposição, deve ser incluída no processo de Desarmamento, Desmobilização e Reintegração (DDR).

"Acho que os membros da junta devem, podem e merecem ser integrados no processo, porque combateram durante anos", declarou Mirko Manzoni.

O responsável falava durante a conferência "Acordo de Paz e Reconciliação Nacional de Moçambique: Um Ano Depois", promovido pela Chatham House, uma entidade independente de debates sobre assuntos internacionais com sede em Londres.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE