PUBLICIDADE
Covid-19

Comunidade brasileira em Portugal perdeu emprego e está mais sujeita à discriminação - analista

20 | 09 | 2020   14.28H

A investigadora do Instituto Português de Relações Internacionais Ana Paula Costa considera que as mulheres brasileiras em Portugal constituem um dos grupos mais afetados pela perde de emprego durante o confinamento, com mais riscos de discriminação.

Criadora de uma rede solidária promovida por 200 mulheres brasileiras que apoiou centenas de compatriotas durante o confinamento gerado pela pandemia em Portugal, Ana Paula Costa mostra-se preocupada com a situação de muitas compatriotas: "Há muita situação de desemprego, e, por exemplo, na restauração, quem conseguiu ficar, ficou perdendo algum rendimento, por causa da queda [provocada pela pandemia]. Passaram para o part-time. Outras [mulheres] perderam mesmo o emprego e algumas optaram pelo retorno ao Brasil".

Ao mesmo tempo, a também dirigente da Casa do Brasil em Lisboa nota "um aumento da vulnerabilidade no trabalho, porque as pessoas precisam de emprego e estão dispostas a receber qualquer salário" e que a discriminação "cresceu muito", através das redes sociais.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE