PUBLICIDADE
OE2020

Défice de 5,4% do PIB no 1.º semestre evidencia "forte impacto" da pandemia - Finanças

23 | 09 | 2020   16.47H

O agravamento do défice para 5,4% do PIB até junho evidencia o "forte impacto da pandemia de covid-19" na economia portuguesa, não refletindo ainda a melhoria da atividade económica associada ao desconfinamento, afirma o Ministério das Finanças.

"Após um saldo orçamental excedentário em 2019 (+0,1% do PIB [Produto Interno Bruto]), o primeiro em democracia, a estimativa reflete o forte impacto da pandemia da covid-19 na evolução da economia portuguesa", sustenta o ministério em comunicado, comentando os dados das contas públicas divulgados hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Salientando que "o segundo trimestre de 2020 é o primeiro período completo que reflete o efeito da pandemia na atividade económica e nas contas públicas e que incorpora as medidas de combate à pandemia no desempenho da economia nacional", o Governo nota que, "por outro lado, os meses de abril a junho ainda não refletem a melhoria da atividade económica associada ao desconfinamento".

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE