PUBLICIDADE
Actualidade

Marcelo defende que "não há lugar para querelas institucionais durante pandemias"

28 | 09 | 2020   19.40H

O Presidente da República defendeu hoje que "não há lugar para querelas institucionais durante pandemias" e que nesta conjuntura a estabilidade se deve sobrepor aos ciclos eleitorais e a "visões particularistas ou de promoção pessoal".

"Essa é uma lição que nós aprendemos antes da pandemia, mas que nós desenvolvemos com a pandemia: não há lugar para querelas institucionais durante pandemias, não há lugar para querelas institucionais no decurso de uma gravíssima crise económica e social", afirmou o chefe de Estado, no encerramento da 5.ª Cimeira do Turismo, na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa.

Marcelo Rebelo de Sousa, que está nos últimos seis meses do seu mandato e remeteu para novembro uma decisão sobre a sua eventual recandidatura nas presidenciais de 2021, considerou que no atual contexto "não há lugar para o chefe de Estado dizer uma coisa, o chefe do Governo dizer outra, o Governo dizer outra e o parlamento votar outra e as autoridades regionais ou locais fazerem o contrário".

Destak/Lusa | destak@destak.pt

1 comentário

  • Qual pandemia qual carapuça. Ditadura-sanitária. Ditadores são o que vocês sao. Ditadores ao serviço do que há de mais criminoso à face da terra, os poderosos que dominam o sistema bancário, os judeus. Corridos do governo ambos e sem permissão para voltarem. Coveiros deste país. Que com um pretexto inventado o estão a destruir.
    Dono dos Burros | 28.09.2020 | 19.44Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE