PUBLICIDADE
Actualidade

Recinto de fossos pré-históricos no Baixo Alentejo afetado por trabalhos agrícolas - movimento

21 | 10 | 2020   18.16H

Um dos maiores recintos de fossos pré-históricos conhecidos no Baixo Alentejo, situado no concelho de Beja, foi afetado por trabalhos agrícolas para instalação de um olival, sem ter havido salvaguarda do património, denunciou hoje o movimento Chão Nosso.

Trata-se do sítio arqueológico da Salvada 10, que está situado junto à aldeia de Salvada, no concelho de Beja, e "é um dos maiores recintos de fossos pré-históricos conhecidos no Baixo Alentejo", refere o Movimento Chão Nosso, num comunicado enviado à agência Lusa.

Em declarações à Lusa, o arqueólogo Miguel Serra, do movimento, disse que o povoado, que está referenciado no Plano Diretor Municipal de Beja como "tendo elevado valor arqueológico", foi "alvo de ripagens" para instalação de um olival intensivo, e "sem que tenha havido qualquer ação de salvaguarda do património existente".

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE