PUBLICIDADE
Actualidade

Arguido admite ser muçulmano mas nega qualquer ligação ao terrorismo islâmico

26 | 10 | 2020   18.59H

Cassimo Turé, um dos dois arguidos do processo relacionado com os alegados jihadistas portugueses, declarou hoje em julgamento que "nunca pertenceu a nenhuma organização terrorista", admitindo apenas que "é muçulmano".

"Nunca pertenci a nenhuma organização terrorista. Nunca aderi a essa causa. Sou muçulmano, sim senhor, mas não me revejo nessa situação descrita na acusação. Nunca, nunca", insistiu o acusado, que, apesar de ter residência e um filho a viver em Londres, está a ser julgado em Portugal juntamente com Rómulo Costa, este último preso preventivamente em Portugal desde 2019.

Cassimo Turé, que tem Termo de Identidade e Residência (TIR) como medida de coação no Reino Unido, optara por não prestar declarações no início do julgamento e hoje decidiu depor perante o coletivo de juízes, o qual já marcou as alegações finais do julgamento para 09 de novembro, no Tribunal Criminal de Lisboa, situado no Campus de Justiça.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE