PUBLICIDADE
Covid-19

Sociedade médica pede 'Via verde' oncológica para travar mortalidade

22 | 11 | 2020   11.00H

A presidente da Sociedade Portuguesa de Oncologia (SPO), Ana Raimundo, defende a criação de uma 'via verde' no tratamento do cancro e a libertação dos médicos de família no acompanhamento da covid-19 como estratégias contra o aumento da mortalidade.

"Os médicos de família devem ser libertados desse trabalho ligado à covid-19 para os centros de saúde para fazerem as consultas aos seus doentes. Depois, no caso dos doentes oncológicos, devia haver nos hospitais a 'via verde' oncológica", afirmou à Lusa a dirigente da instituição, que alertou para a redução drástica do número de novos diagnósticos e de primeiras consultas em oncologia com a chegada da pandemia a Portugal.

Os números de um inquérito promovido pela SPO aos serviços de oncologia médica de todo o país, apresentado hoje no 17.º Congresso Nacional de Oncologia e que avaliou o impacto inicial da pandemia em Portugal entre março e abril, apontaram para uma quebra de 60 a 80 por cento dos novos diagnósticos de cancro. Para Ana Raimundo, o impacto desta realidade será bastante visível dentro de alguns anos.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE