PUBLICIDADE
Actualidade

Presidente angolano diz que manifestações não têm de acabar em violência

26 | 11 | 2020   12.10H

O Presidente angolano afirmou hoje que as manifestações "não têm de acabar em violência", assinalando que este direito está limitado temporariamente devido à pandemia de covid-19, tal como as idas à praia ou as festas de casamento.

João Lourenço, que falava na abertura de um encontro com representantes da juventude angolana, afirmou que "nos últimos dias, os jovens têm feito uso de várias formas de fazer chegar ao poder as suas preocupações", entre as quais as manifestações, onde transmitem as suas mensagens e preocupações através de cartazes.

"Isto é universal e em Angola também é assim, é um direito protegido pela Constituição e nenhum poder pode tirar esse direito aos cidadãos", salientou.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE