PUBLICIDADE
Actualidade

Maioria dos doentes com cancro retal pode evitar "cirurgia agressiva" - estudo

11 | 12 | 2020   23.30H

Um estudo internacional, envolvendo médicos do Centro Clínico Champalimaud, indica que doentes com cancro retal poderão ser submetidos a um tratamento que evite a "cirurgia agressiva", reduzindo o peso da doença na sua qualidade de vida.

Publicado na revista médica The Lancet Oncology, o estudo chega à conclusão de que, num futuro próximo, a maioria dos doentes "poderá evitar uma cirurgia agressiva e, em vez disso, aderir a um protocolo de radio e quimioterapia, seguido de alguns anos de estreita vigilância médica", anunciou hoje a Fundação Champalimaud.

"Se esses doentes não tornarem a apresentar, nos primeiros anos a seguir ao tratamento, sinais da sua doença, o estudo conclui que a probabilidade de verem o seu tumor reaparecer localmente ou levar ao desenvolvimento de metástases em locais distantes do corpo é baixa", refere a fundação.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE