PUBLICIDADE
Actualidade

Moita Flores acusado de corrupção e branqueamento por obra quando foi autarca em Santarém

14 | 01 | 2021   15.41H

O Ministério Público deduziu acusação contra o ex-presidente da Câmara de Santarém Moita Flores e um empresário, no âmbito das obras no Jardim da Liberdade, pela prática dos crimes de corrupção e de branqueamento.

Em comunicado, o Ministério Público afirma que, na sequência do inquérito que correu termos no Departamento de Investigação e Ação Penal de Évora, foi deduzida acusação para julgamento por tribunal coletivo contra Francisco Moita Flores e um empresário do ramo da construção civil, imputando-lhes a prática de crime de corrupção passiva e ativa, respetivamente, e de crime de branqueamento.

Foram ainda acusados um antigo funcionário do município, como cúmplice no âmbito da prática do crime de corrupção, um filho do ex-autarca e ainda duas pessoas coletivas, aos quais foi imputada a prática do crime de branqueamento.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE