PUBLICIDADE
Actualidade

Violência contra jornalistas no Brasil cresceu mais de105% em 2020

26 | 01 | 2021   23.40H

A imprensa brasileira sofreu 428 ataques no ano passado, incluindo dois assassinatos, número 105,77% superior ao de 2019 (208) e o maior das últimas três décadas, anunciou hoje a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) do Brasil.

Os dados constam no Relatório da Violência contra Jornalistas e Liberdade de Imprensa no Brasil - 2020, elaborado e hoje divulgado pela Fenaj, órgão sindical que atribuiu esse aumento da violência à ascensão do 'bolsonarismo', "movimento político de extrema-direta, capitaneado pelo Presidente, Jair Bolsonaro".

"Um acréscimo não só de ataques gerais, mas de ataques por parte desse grupo [apoiantes de Bolsonaro] que, naturalmente, agride como forma de controlo da informação. Eles ocorrem para descredibilizar a imprensa para que parte da população continue se informando nas bolhas bolsonaristas, lugares de propagação de informações falsas e ou fraudulentas", afirmou a presidente da Fenaj e responsável pela análise dos dados, Maria José Braga.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE