PUBLICIDADE
Óbito/Joel Pina

Amigos do Fado recordam "homem elegante, cordial e sempre bem disposto"

12 | 02 | 2021   14.01H

O músico Joel Pina, que morreu na quinta-feira, em Cascais, aos 100 anos, era "um homem elegante, cordial e sempre bem disposto", recorda a Associação Portuguesa dos Amigos do Fado (APAF).

"Ao músico, frequentemente apresentado como o professor Joel Pina, se fica a dever a introdução e sistematização da viola baixo no acompanhamento fadista", realça em comunicado a APAF, referindo que o músico "acompanhou alguns dos nossos maiores nomes, como Amália Rodrigues, mais de 30 anos, Maria Teresa de Noronha, Tony de Matos, António Rocha ou Tristão da Silva", tendo gravado com "consagrados e nomes mais recentes do panorama fadista, como Ricardo Ribeiro, entre outros".

A APAF recorda a participação de Joel Pina no Conjunto de Guitarras de Raul Nery, e no "projeto inovador" da Estoril Discos, "Lisboa, Cidade de Fado", uma iniciativa do editor discográfico Manuel Simões (1917-2008), com os os músicos Arménio de Melo, Paulo Parreira e João Veiga.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE