PUBLICIDADE
Covid-19

Carta aberta às televisões pede informação sóbria e critica "obsessão opinativa"

23 | 02 | 2021   08.24H

Dezenas de personalidades assinam uma carta aberta dirigida às televisões generalistas a pedir contenção na informação sobre a pandemia e a criticar o que consideram ser o excesso informativo, o tom agressivo usado nalgumas entrevistas e a "obsessão opinativa".

"Sabemos (...) que os media estão em crise, que sofrem a ameaça das redes sociais, a competição por audiências, as redações desfalcadas, os ritmos de trabalho acelerados impostos aos que nelas restam, a precariedade laboral de muitos jornalistas", mas "assinalamos a excessiva duração dos telejornais, contraproducente em termos informativos", referem os autores da carta, hoje publicada no jornal Público.

Assinada por personalidades como a escritora Alice Vieira, a professora universitária Ana Benavente, que foi secretária de Estado da Educação, o encenador Tiago Rodrigues, a diretora do Museu do Aljube, Rita Rato (ex-deputada do PCP), a jornalista Diana Andringa, e a médica Isabel do Carmo, entre outros, a carta aberta pede "uma informação que respeite princípios éticos, sobriedade e contenção".

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE