PUBLICIDADE
Actualidade

Rebeldes hutus negam ataque em que morreu o embaixador italiano na RDCongo

23 | 02 | 2021   09.37H

Os rebeldes hutus ruandeses das Forças Democráticas para a Libertação de Ruanda (FDLR) negaram hoje serem os autores do ataque que provocou a morte do embaixador de Itália na República Democrática do Congo (RDCongo), na segunda-feira.

Nma nota enviada à agência de notícias AFP, as FDLR negaram estar "envolvidas no atentado que resultou na morte do embaixador italiano e pediram às autoridades congolesas e à missão da ONU na RDCongo (MONUSCO) "que esclareçam as responsabilidades deste ignóbil assassínio em vez de fazerem acusações precipitadas".

Os rebeldes ruandeses afirmam que "o comboio do embaixador foi atacado numa área chamada de 'trois antennes (três antenas)' perto de Goma, na fronteira com o Ruanda, não muito longe de uma posição das FARDC (Forças Armadas da RDCongo) e das (...) Forças de Defesa do Ruanda (exército do Ruanda).

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE