PUBLICIDADE
Actualidade

Associação Portuguesa de Editores e Livreiros defende abertura urgente das livrarias

24 | 02 | 2021   20.20H

A Associação Portuguesa de Editores e Livreiros (APEL) defende que "é urgente reabrir as livrarias", que aponta como "rampa de lançamento determinante para qualquer livro", e que já representa uma perda de "34% das vendas totais".

Em comunicado hoje divulgado, a APEL demonstra o papel das livrarias no setor, como "motor e parceiro indispensável e insubstituível da edição, na divulgação dos livros, das suas novidades e do fundo de catálogo".

"No curto prazo, o acesso do público aos livros está garantido, pelo levantamento da proibição de venda de livros nos espaços livreiros integrados em outros espaços comerciais, tais como as livrarias/papelarias, CTT, FNAC, El Corte Inglés, Note, e nos super e hipermercados", lê-se no mesmo comunicado.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE