PUBLICIDADE
Covid-19

Produtos "sem controlo" afastam adegas do Alentejo do mercado de álcool gel

02 | 03 | 2021   18.22H

As empresas vitivinícolas do Alentejo não têm capacidade de competir no mercado de álcool gel devido à proliferação de produtos baratos, mas "sem controlo" das autoridades, disseram hoje à Lusa os responsáveis de duas adegas da região.

A Ervideira, no distrito de Évora, e a Adega Cooperativa da Vidigueira, Cuba e Alvito, no distrito de Beja, foram das primeiras a apoiar a linha da frente do combate à pandemia de covid-19, numa altura de enorme escassez de álcool gel, mas, um ano depois da confirmação do primeiro caso de covid-19 em Portugal, estão praticamente "fora do mercado".

O diretor executivo da Ervideira, no concelho de Évora, mas integrado na sub-região vitivinícola de Reguengos de Monsaraz, explicou que o mercado foi inundado por produtos muito gelatinosos, mas que "não têm 70% de álcool", conforme a legislação em vigor, e que são vendidos "com 6% de IVA".

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE