PUBLICIDADE
Actualidade

Acionista da Groundforce não aceitou exigências para empréstimo e colocou novas condições - Governo

05 | 03 | 2021   15.06H

A Pasogal, acionista da Groundforce, não aceitou as exigências colocadas pela TAP para obter o empréstimo necessário para pagar salários a 2.400 trabalhadores e colocou novas condições, que estão a ser analisadas, disse fonte oficial do Governo à Lusa.

A informação surge depois de os responsáveis da empresa de Alfredo Casimiro, que detém 50,1% da Groundforce, terem sido recebidos esta manhã no Ministério das Infraestruturas e da Habitação e de a Pasogal ter anunciado ter concordado com todas as exigências colocadas pelo ministro Pedro Nuno Santos na conferência de imprensa de quinta-feira.

Segundo fonte oficial do gabinete de Pedro Nuno Santos, a Pasogal não só não aceitou as exigências, como colocou novas condições, que estão a objeto de análise.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE