PUBLICIDADE
Covid-19

Alfarrabistas entre o desalento e a revolta à porta fechada

06 | 03 | 2021   09.07H

(REPETIÇÃO) Porto, 04 mar 2021 (Lusa) - Os alfarrabistas do Porto oscilam entre o desalento de ver os espaços próprios encerrados, atrás de grades e estores descidos, e a revolta com a permissão de venda de livros em grandes superfícies comerciais.

Se muitos temem o fecho de portas e já sentem na pele a quebra de vendas, que se deverá prolongar a curto e médio prazo, outros mantêm o otimismo, como afirmam à Lusa.

A responsável pela Paraíso do Livro, Amélia Coelho, dá voz à revolta de muitos no setor quando vê outros espaços, não exclusivamente dedicados à venda de livros, que o estão a fazer, enquanto os livreiros "estão retidos", como "prisioneiros".

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE