PUBLICIDADE
Actualidade

As mulheres do sal da Guiné-Bissau que não conhecem o seu dia internacional

08 | 03 | 2021   05.01H

As mulheres da comunidade de Ponta Zé Henrique, a 30 quilómetros da capital da Guiné-Bissau, nem sabem da existência do Dia Internacional das Mulheres, mas sabem que se não produzirem sal não vão ter o que comer.

A agência Lusa visitou um acampamento improvisado à beira rio, onde cerca de três dezenas de mulheres da comunidade de Ponta Zé Henrique, trabalham, desde sempre, dizem, de sol a sol, no processo de produção do sal de cozinha que vendem em Bissau ou em Quinhamel.

Cada quilograma de sal equivale a cerca 50 cêntimos de euros, dinheiro com que compram a comida para a família ou pagam a escola das crianças, disse à Lusa Maria Monteiro, a porta-voz da associação das mulheres produtoras de sal da comunidade de Ponta Zé Henrique.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE