PUBLICIDADE
Actualidade

CT da Groundforce receia já não estar a lutar por salário mas pelo posto de trabalho

08 | 03 | 2021   13.36H

A Comissão de Trabalhadores da Groundforce admitiu hoje recear a perda dos postos de trabalho, caso seja pedida a insolvência da empresa, depois de não ter sido alcançado acordo entre o acionista privado e a TAP.

A Comissão de Trabalhadores (CT) disse hoje à Lusa que foi informada de que as negociações entre a TAP e a Pasogal falharam, depois de, esta madrugada, o acionista maioritário, Alfredo Casimiro, ter dado conta de que as suas ações já estão penhoradas e, como tal, não as pode dar como garantia para o empréstimo de 2,05 milhões de euros, para pagar os salários em atraso aos cerca de 2.400 trabalhadores.

A CT disse não saber quais são as hipóteses que estão agora em cima da mesa para o futuro da empresa de 'handling' (assistência nos aeroportos), mas admitiu ter receio que se coloque a hipótese de insolvência da Groundforce.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE