PUBLICIDADE
Actualidade

Investigação com "mão" portuguesa revela campo magnético perto de buraco negro "famoso"

24 | 03 | 2021   14.00H

Três estudos hoje divulgados, num dos quais participa o astrónomo português Hugo Messias, revelam a assinatura de um campo magnético perto do buraco negro que em 2019 se tornou conhecido pela primeira imagem exibida desse tipo de corpo celeste.

O buraco negro está no centro da galáxia M87, situada a 55 milhões de anos-luz da Terra, e a sua imagem, divulgada em 10 de abril de 2019, foi a primeira que se obteve de um buraco negro, no caso a sua sombra envolta por um anel de plasma radiante (um buraco negro é, em si, um corpo do Universo completamente escuro do qual nada escapa, nem mesmo a luz).

É a primeira vez que astrónomos conseguem medir a assinatura de um campo magnético "tão perto da borda de um buraco negro", salienta em comunicado o Observatório Europeu do Sul, organização astronómica da qual Portugal faz parte e que é parceira no radiotelescópio ALMA, com o qual Hugo Messias, colaborador do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço, trabalha.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE