PUBLICIDADE
Covid-19

José Aranda da Silva exige "resposta adequada" à escassez de vacinas

08 | 04 | 2021   06.05H

O antigo presidente do Infarmed e um dos fundadores da Agência Europeia do Medicamento (EMA), José Aranda da Silva, exige que Portugal e a Comissão Europeia (CE) deem uma "resposta adequada" à escassez de vacinas disponíveis contra a covid-19.

Em entrevista à Lusa, o principal promotor de um apelo público para que as vacinas sejam consideradas um bem de interesse comum, que inclui dezenas de subscritores de diferentes áreas da sociedade portuguesa, confessou-se "chocado" com o rumo atual do processo de vacinação a nível comunitário.

"A partir da entrada das vacinas no mercado começou a haver um jogo comercial em vez de se tratar como um bem público. Quando há uma guerra, há uma mobilização total. E nesta guerra nós não estamos a utilizar as armas adequadas. Não como um bem público e que é de todos, mas sujeito às regras de lei e procura. Esta é uma situação única no mundo e temos de dar uma resposta adequada", defendeu o primeiro líder da Autoridade Nacional do Medicamento.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE