PUBLICIDADE
Novo Banco

Não havia norma reguladora de vendas de crédito malparado - ex-diretor

08 | 04 | 2021   18.05H

O antigo diretor de auditoria interna do Novo Banco, Luís Seabra, disse hoje que a instituição não tinha uma norma reguladora quando começou a vender crédito malparado, apesar de não ter encontrado desconformidades na venda da primeira carteira.

"O Nata I foi a primeira transação de venda de NPL ['non-performing loans', crédito malparado] que o Novo Banco fez. E deveria haver uma norma interna para regular este processo. Na altura, eu creio que não havia", disse Luís Seabra na sua audição na Comissão Eventual de Inquérito Parlamentar às perdas registadas pelo Novo Banco e imputadas ao Fundo de Resolução, que decorre no parlamento.

Luís Seabra afirmou que "isso está claramente documentado no relatório de auditoria", explicitando que usualmente nos processos de auditoria "são detetados estes 'findings', ou deficiências de controlo interno", em resposta à deputada Filipa Roseta (PSD) e também ao presidente da comissão de inquérito Fernando Negrão (PSD).

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE