PUBLICIDADE
copenhaga

Projecto de texto dinamarquês ameaça sucesso das negociações

08 | 12 | 2009   20.29H

Lumumba Stanislas Dia Ping, chefe da delegação sudanesa, cujo país preside actualmente ao G77, excluiu, todavia, a possibilidade daquele grupo de países abandonar o evento.

O texto em causa constitui "uma grave violação que ameaça o sucesso do processo negocial de Copenhaga", frisou Dia Ping.

As organizações não-governamentais também criticam o texto dinamarquês, por recearem que deixe as Nações Unidas à margem do processo negocial para um acordo sobre o aquecimento global.

O texto, de oito páginas, aborda as condições para a redução, até 2050, em 50 por cento das emissões de dióxido de carbono, a partir dos valores de 1990.

Delegações de 192 países estão reunidas até 18 de Dezembro em Copenhaga naquele que é já considerado o maior e mais importante encontro de sempre sobre o clima. O objectivo é chegar a um consenso em relação a um texto para um acordo legalmente vinculativo, que concretize os objectivos necessários para assegurar que o aquecimento global não será superior a dois graus centígrados em relação à era pré-industrial.

Está confirmada a presença de mais de cem chefes de Estado e de Governo na conferência de Copenhaga, convocada pela ONU, a que também assistirão cerca de 15 mil delegados e o próprio secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon. O primeiro-ministro português, José Sócrates, participará na cimeira.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE