PUBLICIDADE
sistema de videovigilância

Associação de Bares defende gravações por 24 horas

14 | 12 | 2009   15.03H

Segundo o presidente da ABZHP, António Fonseca, não faz sentido que um equipamento instalado apenas grave imagens das 21:00 às 07:00.

"O equipamento tem custos 24 horas, não apenas durante a madrugada", disse, acrescentando que "haverá mais vantagens" com o alargamento do horário das gravações das imagens.

O sistema funciona apenas durante a madrugada, de acordo com a autorização que foi dada pela Comissão Nacional de Protecção de Dados.

A licença, que impede a audição ou gravação de sons, tem validade para um ano desde a entrada em funcionamento efectivo das câmaras.

A funcionar desde 09 de Setembro na Ribeira do Porto, o sistema de videovigilância conta com 14 câmaras instaladas em diferentes pontos daquela zona da cidade.

Para António Fonseca, é durante o dia que há uma maior afluência à zona, fazendo, por isso, muito mais sentido que o sistema esteja a gravar durante esse período.

Fazendo um balanço do primeiro trimestre de funcionamento deste sistema, António Fonseca referiu que, comparativamente a igual período do ano passado, "há um maior afluxo de frequentadores da zona".

"Por coincidência ou não, a verdade é que há mais pessoas a frequentar a zona este ano", disse.

O responsável salientou, ainda, a boa aceitação por parte da comunidade local do sistema.

No seu entender, o facto das câmaras estarem ali instaladas é, por si só, uma medida dissuasora de crimes.

Contactado pela Lusa, o comissário da PSP/Porto Tiago Gonçalves afirmou ser ainda prematuro fazer uma avaliação correcta sobre o funcionamento do sistema, uma vez que, oficialmente, a videovigilância apenas começou a funcionar a 01 de Novembro.

"Serão feitas avaliações periódicas de três em três meses", disse, "e serão feitas comparações com os anos anteriores".

Questionado se concorda com o alargamento do horário das gravações para todo o dia, Tiago Gonçalves disse que, sendo a Ribeira a zona turística da cidade por excelência, "seria mais relevante" que as gravações ocorressem no período em que há mais pessoas na rua.

A Associação vai agora tentar junto da Câmara do Porto passar a ideia do alargamento do horário das gravações, para que seja a autarquia a requerer ao ministério da Administração Interna esse pedido.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
Foto: DR
Associação de Bares defende gravações por 24 horas | © DR

1 comentário

  • Se os bruxos e feiticeiras adivinhassem...não era preciso nada disto...Cá o moço para saber as coisas...embora não expluda...tem de recorrer a esquemas...Mas é bué de fácil...seja agravá-las ou Cenarizadas...É só ir à NET. Sei tantas coisas que nem sonham! Mas cuidado; é proibido bué... Mas vão aparecendo os e as (feiticeiras...daquelas que estão nas Grutas ou Ilhas perdidas no meio do Mar. Oremos, Irmãos...Então!
    oremos | 14.12.2009 | 20.12Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE