PUBLICIDADE
sintra

Feirantes de Mem Martins marcam manifestação para sábado

13 | 01 | 2010   14.58H

Duas centenas de feirantes estiveram hoje reunidos em frente aos paços do concelho para exigir que a autarquia arranje uma solução que abranja os vendedores das feiras de Fanares e da Capela.

No fim-de-semana, a PSP impediu a realização das duas feiras, no cumprimento de um edital que suspendeu a realização das mesmas a partir de 1 de Janeiro.

Os vendedores tinham montado as bancas na Tapada das Mercês (para onde está prevista a sua transferência), o que, segundo o presidente da Junta de Freguesia de Algueirão-Mem Martins, Manuel do Cabo, representou "uma ocupação ilegal do espaço".

O presidente da associação de feirantes, Francisco Saramago, esteve hoje reunido com o presidente da Câmara de Sintra, Fernando Seara, e com o vereador responsável pelo pelouro das feiras e mercados, Baptista Alves, onde expôs duas propostas dos feirantes.

Segundo o responsável, não vai haver espaço suficiente na Tapada das Mercês para albergar os 185 feirantes das duas feiras.

De acordo com Francisco Saramago, os feirantes propõem a suspensão do edital durante 30 dias, de forma a que possam realizar as feiras nos locais habituais até que o futuro espaço, na Tapada das Mercês, tenha condições para albergar as feiras.

Caso a autarquia chumbe esta proposta, Francisco Saramago propôs a deslocação dos feirantes para um local onde se realiza a Feira das Mercês há mais de dois séculos, e, obteve por parte dos responsáveis da autarquia, a informação de que vai receber uma resposta na próxima segunda-feira.

Os feirantes contestam ainda a falta de espaço do futuro local da feira que, segundo José Saramago, não vai poder albergar os cerca de 185 vendedores que no sábado passado foram impedidos de montar as bancas nas feiras da Capela e de Fanares.

“Os feirantes têm os mesmos problemas de qualquer cidadão comum e precisam de um tempo para serem despedidos. Aqui ficaram sem emprego de um momento para o outro e têm que comer, pagar as casas e educar os filhos”, disse.

Os feirantes estiveram concentrados inicialmente esta manhã em frente à Junta de Freguesia de Algueirão-Mem Martins, onde reuniram com o presidente da junta, mas a falta de acordo entre as partes motivou a deslocação até à câmara de Sintra.

À chegada à câmara de Sintra os feirantes depararam-se com a presença de um número elevado de elementos policiais da Policia Municipal e da GNR.

Os ânimos exaltaram-se, os feirantes gritaram “deixem-nos trabalhar”, mas no entanto não houve qualquer incidente, com a concentração a ser desmantelada às 12:30.

Destak/Lusa | destak@destak.pt

2 comentários

  • 14.01.2010 | 09.18Hcomentário reprovado
  • Os tempos mudam, mudam as vontades. . . é a vida, meus caros !
    alexandre barreira | 13.01.2010 | 16.22H
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE