PUBLICIDADE
Lisboa

Igreja Católica apoia manifestação "pela família" marcada para dia 20

10 | 02 | 2010   17.17H

“É evidente que a Igreja apoia aqueles que promovem os valores do verdadeiro casamento e de uma família estruturada sobre o amor de um homem e de uma mulher”, afirmou o padre Manuel Morujão, declarando que a Igreja “aplaude” por isso a iniciativa daquela plataforma.

O sacerdote salientou que “esta manifestação não é promovida pela Igreja”, contudo, acrescentou, “os valores que ela defende são valores antropológicos verdadeiramente importantes para a família”.

“Portanto, a Igreja alegra-se que haja cidadãos que promovem e participem nesta manifestação”, disse.

Segundo a Plataforma Cidadania e Casamento, a iniciativa pretende mobilizar pessoas que “não aceitam que se decida o valor do casamento e os destinos da família, pondo em causa o futuro de gerações, sem haver um debate sério, com verdadeiro empenho em esclarecer todos e cada um dos portugueses”.

A manifestação começa às 15:00 na praça Marquês de Pombal, descendo depois a avenida da Liberdade até à praça dos Restauradores, onde vai decorrer a "festa da família".

A organização convida os participantes a fazerem cartazes com inscrições como “Sou mãe graças ao pai do meu filho!”, “Eu quero uma família verdadeira! Com pai e mãe” ou “O casamento não é uma questão de moda!”.

A Plataforma Cidadania e Casamento promoveu uma petição, subscrita por mais de 90 mil, pela realização de um referendo sobre o casamento entre pessoas do mesmo sexo, que foi entregue no Parlamento em janeiro.

A proposta de referendo, votada no plenário da Assembleia da República, foi chumbada pelos deputados dos partidos de esquerda, que paralelamente viabilizaram a proposta de lei do Governo para a legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo.

O porta-voz da CEP considerou na ocasião que a aprovação do casamento homossexual foi uma precipitação e que a ausência de um referendo sobre a matéria abriu uma "ferida democrática".

“Esta precipitação, pondo de lado o pedido de cerca de uma centena de milhar de cidadãos, e sobretudo em tão pouco tempo, belisca a qualidade da democracia”, afirmou Manuel Morujão.

O responsável disse existir “uma certa ferida democrática em consequência de ter havido uma movimentação tão rápida de cidadãos” que “em pouquíssimas semanas se dinamizou a ponto de recolher quase uma centena de milhar de assinaturas para que pudesse haver um referendo”.

Destak/Lusa | destak@destak.pt

12 comentários

  • É inacreditável a quantidade de saloiada que se consegue unir para tentar tirar direitos a uma minoria. Seria bonito se se unissem para contestar a falta de referendo (que havia sido prometido por este mesmo governo) ao Tratado de Lisboa (vulgo Constituição Europeia), que isso sim, irá afectar-nos a todos. Povinho tacanho este.
    xpression | 21.02.2010 | 03.53Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Que o povo não se cale, ou qualquer dia o sexo entre um homem e uma mulher será proibido e só será permitido PMA!
    Jacinto Vidinha | 13.02.2010 | 02.59Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Detesta a RELIGIÃO DA IGREJA, mas cala-se sobre a RELIGIÃO DOS BANCOS?
    TOMA BANHO | 11.02.2010 | 11.55Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • O Manuel Silva queixa-se por uma instituição receber dinheiro OFERECIDO pelas pessoas que nela acreditam, mas cala-se que nem um rato quando instituições ROUBAM muito mais dinheiro do que isso aos cidadãos? Caso dos bancos, por exemplo?
    TOMA BANHO | 11.02.2010 | 11.54Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • O pior é se o Padrinho descobre que os casamentos dos gays e das lésbicas causam má imagem ao CCF-Centro Comercial de Fátima e prejudicam o negócio.
    PS: De fonte fidedigna o CCF é a área de negócio que mais receitas produz para a Família Vaticano. Estudos efectuados pelos cérebros da Família com o ouro oferecido pelos mentecaptos a Família pode já fazer uma oferta de compra de Fátima para estabelecer o novo Estado Vaticano II, digo segundo quartel-general da Família.
    Manuel Silva | 10.02.2010 | 22.28Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Devíamos fazer uma petição a nível nacional e até EUROPEU para que se abra por completo o debate religioso, e para isso devem ser tornados públicos os livros sagrados das várias religiões, para que cada cidadãos os possa livremente consultar e daí se informar. Do cristianismo, tornem pública a Bíblia, antigo e novo testamentos (não é fácil encontrá-los em PDF e sem ser pagos). Do Islão, tornem público o Corão (está disponível em PDF e é grátis). Do Judaísmo, tornem públicos a Tora (não sei se está em PDF), e o mais importante de todos, o TALMUDE (que parece não existir).
    DEBATE SIM | 10.02.2010 | 22.20Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Ó cristão católico, mais depressa HITLER impediria que demolissem o Santuário de Fátima do que muitos outros que por aí há . Aliás, quem quer mal à igreja até são bem os inimigos de Hitler. Veja lá! :)
    GORAZ | 10.02.2010 | 21.49Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Vamos todos fazer uma manifestação contra a pedofilia e os abusos sexuais de crianças perpetrados pela Família Vaticano e também contra as torturas, churrascos e mortes efectuadas pelo Esquadrão especial da Família que denominou de Inquisição e piedosamente de Santa!
    Manuel Silva | 10.02.2010 | 21.07Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • O Cardeal Patriarca de Lisboa é que tem razão! Disse ele " Fujam de casar com árabes"! ELE LÁ SABE PORQUÊ! Este saber deve-se às más experiências do clero nas sondagens manuais efectuadas às jovens árabes aquando das suas piedosas campanhas de evangelização da alma e do corpo!
    Manuel Silva | 10.02.2010 | 21.01Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Meus caros, a igreja actual passou a ser um negócio como outro qualquer . . . !
    alexandre barreira | 10.02.2010 | 20.41Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • se se preocupassem mais em ajudar as pessoas que estão no desemprego, a dar abrigo aos desafurtonados que dormem nas ruas das cidades e respeitassem o proximo como Cristo sempre respeitou,(veja-se o caso de Maria Madalena), talvez tivessemos uma sociedade melhor e mais justa. Acho-vos uns grandes hipocritas. Como dizia Jesus Cristo "sepulcros caiados de branco por fora mas fedorentos por dentro"...
    Antonio | 10.02.2010 | 19.12Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Já começa a ser um principio! Talvez a Igreja,esteja agora a vêr que este HITLER,não respeita ninguém e portanto,antes que ele mande demolir o Santuário de Fátima,ou faça dele um quartel militar,é melhor começar a colocar-se ao lado dos pobres,dos desempregados,daqueles que estão a ser vitimas deste fascismo raivoso,que tem comido a pele e os ossos de quem trabalha,em beneficio do patronato,do grande capital. Quanto a mim,esta Igreja tem sido uma COBARDE.
    cristão católico | 10.02.2010 | 19.08Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE