PUBLICIDADE
Cães perigosos

Brigada de Lisboa apreendeu 36 animais, 13 de raça perigosa, em 2009

15 | 03 | 2010   08.40H

Criada pela Polícia Municipal de Lisboa em janeiro de 2008, a Brigada Especial de Fiscalização Animal (BEFA) enviou, em 2009, 36 canídeos para o canil municipal, segundo revelou à agência Lusa o comandante desta força de segurança.

Além dos animais de raça perigosa que foram encontrados ilegais - todos “pitbull” - as principais ilegalidades detetadas em animais de companhia foram a “falta de registo e licença”.

No ano passado, a BEFA verificou 991 infrações e considera que, atualmente, principalmente devido à existência deste grupo, se regista “uma franca melhoria, nomeadamente na legalização dos animais”.

“Com a nossa fiscalização, os donos ficaram cientes dos seus deveres e responsabilidades uma vez na posse de animais de raça perigosa. Estão mais cumpridores, visto que são incomodados com os processos que lhes são movidos pelo incumprimento”, de acordo com o comandante da Polícia Municipal de Lisboa.

Em 2008, esta brigada tinha levantado 309 autos relacionados com cães potencialmente perigosos e 355 não perigosos.

A BEFA garante que, em 2009, não apreendeu qualquer animal envolvido em lutas de cães, não tendo conhecimento de cães de raça perigosa envolvidos em assaltos.

Entre as situações mais graves que os agentes da BEFA registaram encontra-se “a mordedura a uma senhora, por um canídeo que andava sem açaime na via pública, tendo necessidade de ser saturada numa das mãos”.

O destino dos animais apreendidos por estarem ilegais é o canil municipal. Cabe depois ao Tribunal decidir o seu fim.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
Foto: DR
Brigada de Lisboa apreendeu 36 animais, 13 de raça perigosa, em 2009 | © DR

3 comentários

  • É estranho como os homens humanos continuam a confundir tudo.
    "Prendem" os animais que, "perigosos" ou não, só agem como foram ensinados pelos donos ou reagem defendendo-se da acção de estranhos.
    Não seria mais inteligente punir os verdadeiros responsaveis duma forma menos leve do que simplesmente lhes retirar o "objecto" fonte do problema e "resolver" por eles permanente, definitivamente e talvez com um custo infinitamente menor a maçadora existência destas "criaturas agressivas"? Ou alguém acredita que o Tribunal vai decidir que o "fim" destes animais é a readopção?
    Assim como as crianças, os animais precisam de ser educados. Infelizmente para ambos, quando ninguém se dá ao trabalho de o fazer eles aprendem comportamentos inadequados com quem os rodeia. Quer queiramos quer não.
    E o papel do jornalista não devia ser o de levantar também estas questões?
    Ana Barros | 17.03.2010 | 11.11Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Pois...e quantos foram presos por promoverem e efectuarem lutas de cães?? E quantos levaram coima por abandonarem os seus animais com o perigo destes provocarem um acidente no qual pessoas possam morrer? JORNALISMO MUITO FRAQUINHO!!
    Herculano Santos Dias | 15.03.2010 | 14.33Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Concordo plenamente com a lei existente para animais perigosos.Todavia, pergunto:Para quando uma lei que proteja os outros não perigosos e que são constantemente vitimas do cidadão anonimo?
    Anabela Condeco | 15.03.2010 | 12.07H
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE