PUBLICIDADE
segurança

Delinquência e violência juvenis preocupam polícia

14 | 04 | 2010   07.40H

O aumento do número de gangues juvenis cuja principal actividade é o crime, o incremento das solicitações de agentes da Escola Segura da PSP nos estabelecimentos de ensino e o registo de cada vez mais alunos com comportamentos agressivos são um cenário que preocupa a PSP.

Quem o garante ao Destak é o presidente da Associação Sindical dos Profissionais da Polícia, que acrescenta que é cada vez mais frequente os casos de jovens que levam armas brancas para as escolas e que colocam em risco a integridade física de professores, colegas e funcionários.

A sensação que fica é a de que «a agressividade passou a ser uma moda nas escolas portuguesas» muito devido ao «sentimento de impunidade » e à ideia de que «os alunos têm um estatuto superior ao dos docentes», explica Paulo Rodigues.

Além disso, os professores «têm medo de agir, sentem-se inseguros dentro da própria escola» e às vezes até são os pais que, em vez de corrigirem os filhos, acabam por censurar os docentes.

O dirigente sindical lembra ainda outro problema: o sentimento negativo que a sociedade portuguesa associa à polícia. «Sempre que um agente passa na escola, há insultos, sendo esse o primeiro passo a caminho da agressão. Na vez seguinte, se tiverem hipótese, partem para a violência.»

Gangues juvenis perigosos

E são os adolescentes que são agressivos nas escolas que transportam estes comportamentos para fora do espaço escolar e que se associam a gangues.

«São jovens que se acham acima da lei e que têm a ideia de que o herói é o mau e não o bom», explica Paulo Rodrigues.

Estes delinquentes acabam por ser os mais perigosos para a segurança dos polícias. «Um jovem de 17 ou 18 anos não tem maturidade suficiente para pensar no objectivo final do crime, quando vê um polícia pensa primeiro em disparar. Além disso, os seus actos são mais imprevisíveis e violentos do que os de um criminoso adulto, arriscam-se mais e não se preparam tanto.»

Cidades potenciam crimes

Esta preocupação é partilhada pelo deputado social- -democrata Fernando Negrão.O ex-director da Polícia Judiciária lembrou ontem, no âmbito de um encontro organizado pelo Observatório de Segurança, «que metade dos jovens das áreas metropolitanas de Lisboa e Porto já cometeu um acto delinquente», disparando o valor quando está associado ao consumo de álcool ou de droga.

Patrícia Susano Ferreira | pferreira@destak.pt
Foto: Luis Aniceto
Delinquência e violência juvenis preocupam polícia | © Luis Aniceto

2 comentários

  • E eu até gostava de vêr os jovens a partirem as trombas a estes chulos!
    vigilante até à oito | 16.04.2010 | 01.59Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Tirem-lhes as playstations!
    quecena | 14.04.2010 | 11.27Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE