PUBLICIDADE
disco de viagens

Cantora de jazz Sofia Ribeiro lança álbum "Porto"

05 | 05 | 2010   08.57H

[Alexandra Couto, da Agência Lusa]

Uma dessas escalas é a cidade do Porto – já que Sofia Ribeiro nasceu em Lisboa mas, antes de se mudar para Paris, sempre viveu em Gaia – e outra paragem de referência é Boston, onde a cantora conheceu o contrabaixista e compositor Gui Duvignau, que a acompanha no disco e assume também a sua produção e direção artística.

“Este álbum é sobre um ponto de partida e de chegada”, revela à Lusa a cantora. “Foi gravado em Paris, misturado no Rio de Janeiro, impresso no Luxemburgo e está cheio de influências dos sítios por onde passámos. Atravessou o Atlântico, combina temas originais com canções do Brasil e de Portugal, e foge completamente ao que é o jazz clássico”.

Para Sofia Ribeiro, o disco que sucede a “Dança da Solidão” (2005) e “Orik” (2008) é também um “Porto” de emoções em que as palavras assumem particular importância.

“Nem sempre canto com letra, mas dou muito valor à poesia e às histórias contadas através da música”, admite a artista. “Gosto de criar emoções – que não têm necessariamente que ser positivas ou negativas – e essa é uma das coisas que mais me alicia”.

Um dos principais momentos do concerto de lançamento de “Porto” deverá, aliás, ser a reinvenção a 10 vozes do tema “Era um redondo vocábulo”, de Zeca Afonso, numa opção que Sofia Ribeiro considera distintiva do seu estilo.

“Cada vez canto mais em Português, com influências do fado e da nossa outra música, e isso confere-me uma sonoridade diferente do jazz convencional”, explica. “Claro que também tenho os meus momentos de «scat», mas sou mais de misturar a música portuguesa com um bocadinho de pop e outros estilos.”.

Sofia Ribeiro começou a cantar aos 11 anos no Coral Juvenil de Gaia e conciliou depois o Conservatório de Gaia e a Escola de Jazz do Porto com uma licenciatura em Terapia Ocupacional. Ingressou então na Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo (ESMAE), começando por estudar Canto Lírico para depois concluir o primeiro curso dessa escola em Canto Jazz.

Em Barcelona, num intercâmbio que a levou à Escola Superior de Música da Catalunha, conheceu Marc Demuth, o contrabaixista luxemburguês com quem gravou os seus primeiros álbuns. Seguiu-se o Berklee College of Music de Boston – que lhe atribui a bolsa de mérito “Oliver Wagmann Memorial Scholarship”, para “uma cantora extraordinária que demonstrou excelência académica" – e daí passou ao Mestrado em Canto Jazz que iniciou no Conservatório de Bruxelas e, pelo programa Erasmus, terminou no de Paris.

1 comentário

  • Excelente artigo!
    Manuela Mota Ribeiro | 06.05.2010 | 10.31Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE