UGT/FSE

Tribunal absolveu do crime de fraude e plano criminoso todos os 36 arguidos

17 | 12 | 2007   15.23H

O tribunal considerou atribuível o crime de burla na forma tentada ao dirigente da central sindical José Manuel Veludo, mas já prescrito.

O processo UGT/FSE, que se arrastou por mais de 15 anos, tinha como arguidos o actual secretário-geral da UGT, João Proença, o seu antecessor, José Manuel Torres Couto, o ex-tesoureiro José Veludo e o também antigo dirigente da central sindical Rui Oliveira e Costa, entre outros.

José Manuel Torres Couto não esteve presente na sessão de hoje, por se encontrar no Brasil.

Os factos do caso UGT/FSE remontam a 1988/89, tendo a acusação por fraude na obtenção de subsídios, num valor superior a 358 mil contos (1,8 milhões de euros), sido deduzida pelo Ministério Público (MP), em 1995, contra 36 arguidos, 23 dos quais pessoas singulares.

com Lusa

Foto: DR
DR | © DR

1 comentário

  • Assim é que é. A vida foi, é, e continua a ser cada vez melhor para os vigaristas que se apoderam de fundos europeus.
    Com tantos porcos a comerem da mesma pia, nuna se chega a lado nenhum neste país.
    Hortense | 18.12.2007 | 15.33H
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE