Lançamento

Novo projecto Maria Clementina vem refrescar a música

28 | 06 | 2010   08.43H

Como surgiu o projecto?

JP - O projecto começou quando... bom, acho que quando o Manuel se apaixonou pela Raquel.

MM - Basicamente, foi isso. Eu vi-a, apaixonei-me, beijei-a e... em vez de ver fogo de artífico, ouvi música.

RM - Ou seja, no fundo, foi o amor.

Porque se escondem atrás de quatro alter egos?

EM - Não diria que nos escondemos atrás.

RM - Enfim, o que o Enrique quer dizer é que os alter-egos não são um esconderijo. Eles são - aliás, nós somos - o lado B dos egos que nos dão corpo, os sonhos e desejos e tudo o que sempre quiseram ser e nunca foram, por esta ou aquela razão (ou mesmo por razão nenhuma). E nesse sentido, somos tudo menos escondidos: somos, se quiserem, a alma posta a descoberto.

MM - É impossível não amar esta mulher...

Está previsto revelarem as vossas identidades.

MM - Hmmm... não, previsto não está. Mas é como no futebol, não é?

JP - 11 para cada lado?

EM - ... Não, Juca. Previsões, só no fim do jogo... (suspiro).

Em que se inspiraram para criar estes alter-egos e de que forma é que têm a ver com a música?

RM - Nos egos. Como em tudo, o Grande só é Grande pela sua relação com o Pequeno. Ou seja, um é-o pelo outro. E não o seria sem o outro. Neste caso, nós só somos o que somos por causa dos nossos egos. Foi deles que partimos. É para eles que voltamos. Quanto à música...

MM - ... Bom, a música é feita por nós, alter-egos, no sentido em que são estilos e formas diferentes de fazer música da dos nossos egos. É, se quiserem, música que está dentro deles (dos egos), mas que por várias razões não tinha ainda tido espaço de saltar cá fora.

Filipa Estrela | festrela@destak.pt
Foto: DR
Novo projecto Maria Clementina vem refrescar a música | © DR
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE