PUBLICIDADE
SCUT

Matosinhos quer anulação de portagens no concelho

05 | 07 | 2010   21.19H

“Já fiz seguir hoje para o ministro o relatório e um pedido de uma reunião urgente para que se pronuncie em relação a este aspecto porque consideramos um profundo desajuste, da realidade de Matosinhos, esta introdução de portagens dentro da área geográfica do concelho. Pede-se mesmo que seja anulada esta posição dentro do concelho”, afirmou hoje à agência Lusa o presidente da Assembleia Municipal de Matosinhos, Guilherme Vilaverde.

A decisão de elaboração do relatório, a apresentar na terça feira, surgiu depois de ter sido verificado que, “na versão em cima da mesa, há cidadãos de Matosinhos que passam a pagar portagens nas suas deslocações dentro da própria área geográfica do concelho, o que é profundamente inaceitável”, explicou.

A Comissão de Trabalho, eleita na Assembleia Municipal de Matosinhos a 17 de junho, “analisou as implicações para o concelho da introdução de portagens nas SCUT e o caráter inoportuno destas medidas” no próprio concelho que é “um dos pulmões importantes do desenvolvimento desta região”.

No relatório, todos os partidos decidem “reafirmar a sua posição conjunta contra a implementação destas portagens e, em particular, em relação à de Matosinhos".

Emitem ainda "uma veemente crítica em relação à intenção de portajar as SCUT (autoestradas sem custos para o utilizador) na área territorial dentro do próprio concelho”, salientou aquele autarca.

Em causa está um pórtico da autoestrada A4 “que faz com que São Mamede e Leça do Balio tenham essa portagem” e o “pórtico à saída do aeroporto para Matosinhos”.

“O relatório dá nota desse detalhe e solicita a urgente reanálise deste processo e a anulação porque estas portagens são uma aberração”, realçou

O relatório em causa será apresentado na terça feira, pelas 11:00, nos Paços do Concelho de Matosinhos.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE