PUBLICIDADE
Ensino Experimental das Ciências

Formação acaba porque "cumpriu objectivos"

12 | 08 | 2010   16.45H

Na quarta-feira à noite, o site da Direcção Geral de Inovação e Desenvolvimento Curricular (DGIDC) informava que este plano, lançado em 2006 e destinado a professores do 1.º ciclo do ensino básico, não vai continuar no próximo ano lectivo por falta de financiamento.

O programa envolveu um plano de formação contínua, de âmbito nacional, e a produção e disponibilização de recursos didáticos para formadores de professores e para professores do 1º ciclo do ensino básico.

"Todo este investimento deve ser rentabilizado e alargado para que o Ensino Experimental das Ciências seja uma realidade efetiva em todas as escolas, embora a ausência de financiamento por parte do Programa Operacional de Potencial Humano não permita a continuidade deste Programa", lia-se no site da DGIDC, na quarta-feira.

A agência Lusa questionou então o Ministério da Educação sobre o fim do programa, bem como número de professores formados até à data, escolas e alunos abrangidos, tendo a tutela respondido apenas hoje.

"O programa cumpriu os seus objectivos", disse hoje fonte do gabinete da ministra Isabel Alçada, justificando assim a não continuação do programa em 2010/2011.

Também hoje, no site da DGIDC, já não consta a frase "[...] embora a ausência de financiamento por parte do Programa Operacional de Potencial Humano não permita a continuidade deste Programa".

Este organismo do ME decidiu, porém, avançar com um estudo para "avaliar o impacto" do programa nas práticas dos professores e nos resultados das aprendizagens dos alunos.

"O desenvolvimento deste Programa contribuiu largamente para um aprofundamento de conceitos e de conhecimentos científicos na área das Ciências Experimentais (...) permitindo o desenvolvimento profissional dos professores envolvidos e, consequentemente, a melhoria das aprendizagens dos alunos", afirma a DGIDC.

O relatório de progresso do programa relativo ao 3º ano de implementação, disponível no site da DGIDC, aponta que em 2008/2009 participaram no programa 2940 professores de 1471 escolas, o que significa que foram abrangidos mais de 53 mil alunos.

As escolas do 1.º ciclo do ensino básico onde os professores formandos exerciam funções foram dotadas com financiamento destinado à aquisição dos equipamentos necessários à realização das actividades experimentais propostas.

"O critério para a atribuição do montante por escola suportou-se no número de turmas envolvidas, bem como no princípio da rotatividade do equipamento pelas turmas. Assim, escolas com uma a quatro turmas receberam um conjunto de equipamento, e com oito a oito turmas receberam dois conjuntos. No total, o financiamento foi de 856 100 euros", lê-se no relatório.

A generalização do ensino experimental das ciências no ensino básico foi um dos objetivos "prioritários da política educativa" do anterior Governo.

Em 2006, os resultados de estudos internacionais revelavam que os alunos portugueses tinham, em média, um desempenho na área da literacia científica "significativamente inferior ao da média dos países da OCDE, não se verificando melhorias apreciáveis nos últimos anos"

O programa envolvia o estabelecimento de protocolos com universidades.

Foto: 123RF
Formação acaba porque "cumpriu objectivos" | © 123RF
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE