PUBLICIDADE
Cuba

Amnistia Internacional apela às autoridades que deixem de perseguir mãe de Orlando Zapata

17 | 08 | 2010   20.31H

Reina Luísa Tamayo, cujo filho Orlando Zapata Tamayo morreu em Fevereiro, contou à AI que tem sido repetidamente perseguida pelas autoridades e pelos apoiantes do governo durante as marchas que tem feito na cidade de Banes, em memória do filho.

“Reina Luísa Tamayo está apenas a prestar um tributo ao seu filho, que morreu em trágicas circunstâncias, e deve ser respeitada pelas autoridades”, afirmou Kerrie Howard, director da Amnistia Internacional para as Américas.

Todos os domingos, a mãe de Orlando Zapata, normalmente acompanhada por familiares e amigos, caminha da sua casa para a Igreja de Nossa Senhora da Caridade, onde assiste à missa. Depois, segue para o cemitério onde o filho está enterrado.

No entanto, este domingo, apoiantes do governo cubano chegaram de manhã cedo à sua casa, na tentativa de impedir Reina Luísa e os seus familiares de realizarem a marcha até à igreja e depois até ao cemitério, reportou a mãe de Orlando Zapata à AI.

Reina Luísa disse ainda à Amnistia que foram instalados seis altifalantes perto da sua casa que estão a ser usados para disparar slogans contra si e contra as Damas de Branco, organização feminina de familiares de presos de consciência que apela à sua libertação.

Na nota emitida, a AI mostra também “preocupação” em relação a uma “série de detenções pela polícia de jornalistas independentes e dissidentes”.

O escritor Luis Felipe Rojas Rozabal, diz a AI, foi detido pela polícia às 07:00 de segunda feira, na sua cidade natal, San German, província de Holguin. Os familiares desconhecem as razões da sua detenção mas suspeitam de que pode ser pelas críticas que fez ao governo cubano.

Em março de 2003, Orlando Zapata Tamayo foi preso e, um ano antes, tinha sido condenado a três anos de prisão por “desrespeito”, “desordem pública” e “resistência”.

No início de dezembro do ano passado, Orlando iniciou uma greve de fome, apelando à libertação dos prisioneiros de consciência em Cuba. Acabou por morrer a 23 de Fevereiro.

Atualmente, de acordo com a Amnistia Internacional, existem pelo menos 30 presos de consciência nas prisões cubanas.

Destak/Lusa | destak@destak.pt

4 comentários

  • ISTO É TUDO MENTIRA NOS PAISES SOCIALISTAS NÃO EXISTEM PERSEGUIÇÕES !!! AH...AH...AH...AH...AH...
    ACIDO MELECULAR | 18.08.2010 | 17.26Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Depois e ainda por cima o velho não embarcou ainda desta...e o maninho corre-lhe o mesmo sangue...penso eu de que...lol
    4ª. Classe Salazarista | 18.08.2010 | 11.46Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Os filhos da p...átria, não largam a senhora . . . !
    alexandre barreira | 17.08.2010 | 21.13Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Por cá é ao contrário...mas com a (chamam-lhe...) extrema direita...
    4ª. Classe Salazarista | 17.08.2010 | 20.54Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE