Miranda do Douro

Associação quer preservar antigas feiras de burros

05 | 09 | 2010   19.16H

A iniciativa partiu da Associação para Estudo e Protecção do Gado Asinino (AEPGA), que assim tenta recuperar os seculares mercados de burros na região do planalto mirandês.

Hoje, a secular feira do Naso, em Miranda do Douro, foi o palco escolhido para uma acção de divulgação das actividades tradicionais nos antigos certames.

Apesar do esforço, Miguel Nóvoa, membro da AEPGA e médico veterinário, está convencido que “este tipo de feira nunca mais será como antigamente”.

O dirigente associativo garante que “o principal objectivo destas iniciativas é perpetuar a memória colectiva das gentes da região trasmontana, já que estes mercados fazem parte da cultura popular e por isso é importante a presenças dos mais diversos actores ligados ao sector”, sintetizou.

A criadora de burros, Maria Celeste Martins, por ser lado, considera que, no passado, os mercados de gado como o da Senhora do Naso “eram muito importantes para a economia das famílias que trabalhavam na terra.”

A agricultora lamenta o facto das feiras tradicionais como a de Miranda não terem apoios do Governo ou das autarquias, pois considera necessário que “alguém olhe pelas nossas tradições”.

Durante o certame de hoje, em que estiveram meia centena de jumentos autóctones, foram eleitos os melhores exemplares do gado asinino da região, entre outras iniciativas que incluíram ainda a recriação de uma gincana de burros, prova de perícia animal que juntou algumas dezenas de participantes.

A prova chamou a atenção de gente de todas as idades, incluindo jovens, que tentaram demonstrar a sua perícia na condução de burros.

No próximo fim de semana, a AEPGA, promoverá uma ação idêntica na feira dos burros do Azinhoso, concelho de Mogadouro.

Destak/Lusa | destak@destak.pt

2 comentários

  • Aproveitem bem...A Feira pode ter uma faixa do Minho ao Algarve...e deve...?
    Vim-mmm | 05.09.2010 | 23.23Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • "A agricultora lamenta o facto das feiras tradicionais como a de Miranda não terem apoios do Governo ou das autarquias". Sabe quem é que precisava de apoios desses? Quem tem de resgatar os burros que são abandonados porque já "não servem para nada". Gasta-se muito com a manutenção destes animais que já foram de alguém. E claro, como criadora, dava-lhe jeito voltar "a ser moda" para lhe comprarem muitos...
    anónimo | 05.09.2010 | 20.39Hver comentário denunciado
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Sons no Largo do Intendente