PUBLICIDADE
Ambiente

Portugal é o 18.º país entre 149 que mais respeitam o ambiente

24 | 01 | 2008   18.08H

Entre os 27 Estados-membros da União Europeia, Portugal posiciona-se na 14.ª posição, à frente de países como Itália, Dinamarca, Espanha, Luxemburgo ou Holanda, segundo o estudo ao qual a Lusa teve acesso.

O "Environmental Performance Index (EPI) 2008", divulgado ontem em Davos, é um ranking elaborado por uma equipa de especialistas da Yale University e da Columbia University, Estados Unidos, que avalia a qualidade ambiental e a vitalidade do ecossistema em cada país.

A Suíça lidera o ranking que ordena os 149 países utilizando 25 indicadores distribuídos por seis categorias: critérios de saúde ambiental; poluição do ar; recursos de água; biodiversidade e habitat; recursos naturais produtivos e alterações climáticas.

O 2.º lugar é ocupado pela Suécia, seguida pela Noruega, Finlândia, Costa Rica e Áustria, estando os Estados Unidos na 39.ª posição e a China na 105.ª posição.

Segundo o ministério do Ambiente, em termos de "score", Portugal posicionou-se este ano acima da média europeia em cinco das seis categorias analisadas: qualidade ambiental, poluição do ar, água, recursos naturais e alterações climáticas.

Na categoria biodiversidade e habitat, embora com um "score" ligeiramente abaixo da média, Portugal ocupa a 13.ª posição.

Os últimos cinco lugares da lista são todos ocupados por países africanos: Mali, Mauritânia, Serra Leoa, Angola e Níger, que com 39,1 pontos de um total de 100 possíveis aparece como último classificado.

Angola ocupa o penúltimo lugar, a Guiné-Bissau surge na 140.ª posição e Moçambique no 134.º lugar. Já o Brasil surge na 35.ª posição do ranking global, enquanto que entre os países americanos ocupa o 8.º lugar.

Uma primeira análise dos resultados sugere, de acordo com o estudo, que a riqueza é um dos factores determinantes no sucesso e na aplicação de políticas que respeitem o ambiente, embora em cada nível de desenvolvimento alguns países obtenham resultados que excedem significativamente a dos seus semelhantes.

Este é o caso da Costa Rica, que, com suas políticas neste âmbito, conseguiu colocar-se muito acima da Nicarágua, país vizinho, que ocupa o 77.º lugar.

O índice concentra-se fundamentalmente em dois objectivos: saber como se reduz o impacto ambiental na saúde humana e como se promove a vitalidade do ecossistema.

O World Economic Forum de Davos, que reúne grandes empresários e dirigentes políticos mundiais, durante cinco dias na Suíça, começou quarta-feira com um diagnóstico pessimista sobre as perspectivas da economia mundial face à esperada recessão económica nos EUA.

com Lusa

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE