PUBLICIDADE
OE2011

Belmiro de Azevedo diz que Portugal precisa de "decisões rapidamente" e critica "luta entre partidos"

21 | 10 | 2010   20.31H

Em declarações aos jornalistas, Belmiro de Azevedo defendeu que “o problema é que os atores políticos têm que ser de uma qualidade diferente da média atual”, criticando que estejam “a treinar para uma luta entre partidos, ignorando as questões fundamentais”.

À margem do Fórum de Inovação da Sonae (Finov), no Porto, o empresário considerou que o impasse em relação à aprovação do Orçamento do Estado para 2011 (OE2011) “baralha as pessoas, porque as mensagens são de oportunidade”.

Questionado sobre as medidas constantes na proposta do Governo para o OE2011, Belmiro de Azevedo recusou-se a responder, ironizando que “senão o Governo decide ao contrário”.

Ainda assim, o empresário disse desconfiar das previsões de crescimento do Governo para 2011, de 0,2 por cento, considerando que “como qualquer país que não geriu bem as suas contas tem que fazer grandes sacrifícios e a probabilidade é que não haja grande crescimento”.

Para o chairman da Sonae, “0,2 por cento está absolutamente dentro de uma zona de erro tremenda, porque todas as previsões são baseadas em suposições, como, por exemplo, que a Alemanha vai crescer, e, se não acontecerem, o Orçamento vai ao charco”.

Belmiro de Azevedo afirmou que “é preciso inovar na política”, tornando-a “mais interessante e não tão aborrecida”, realçando que “ouvir durante dois ou três meses as mesmas coisas não atrai muita gente”.

O Finov distinguiu projetos inovadores implementados nas empresas do universo Sonae, que em 2009 investiram 72,5 milhões de euros em investigação, desenvolvimento e inovação.

Destak/Lusa | destak@destak.pt

6 comentários

  • Ó pá! Este gajo nunca trabalhou na vida! Este gajo, soube alinhavar-se com as massas dos tais velhos e depois foi só chular ops trabalhadores.
    chiça,ladrão | 22.10.2010 | 16.13Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • para quem gosta de pagar o minimo dos minimos e para quem o trabalho precario é lei, bom, fala muito: não sabe o que é ser escravo, pensa que só ele trabalhou na vida não se preocupando com o proximo, deixo um concelho vá ler a biblia.
    Sem vergonha | 22.10.2010 | 13.28Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • E qulquer dia a sonae vai passar a ter nos hipermercados latas de conserva de sopinha de coelho com coxinhas de rã . . . !
    alexandre barreira | 22.10.2010 | 06.54Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • O Belmiro que se ponha a pau com a fome e a miséria que vai atingir o País nos tempos mais próximos.Os hipermercados são os 1ºs a serem atacados pelos famintos e desesperados...
    O OE vai ser aprovado porque de outro modo poderiam estar em risco as boas reformas,os chorudos ordenados dos políticos e altos quadros da Função Pública,ETC.
    Esta "fita" do PSD,tem como móbil ganhar tempo de antena,fingir que se está contra medidas que afectam a classe média,refomados e pensionistas,etc... O PS e PSD já mostraram no passado que o que pretendem é ir ocupando alternadamente o Poder,e o povo que se lixe...
    A Política é a arte mais ignóbil de enganar os tansos.
    O hipócrita do PR agora virou-se para o mar,já se esqueceu que quando foi 1º ministro,permitiu a destruição da frota de pesca a mando da UE,na altura CEE.
    Se eu não gostasse tanto do meu país,já há muito que teria ido viver para a Suissa ou outro país nórdico,que aí sim,a organização social e política é uma verdadeira referência.
    procópio | 22.10.2010 | 00.16Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • pois! os funcionarios a fazerem horas extras que são pagas em troca de momentos de pouco trabalho nas lojas! fica mais barato que pagar como manda a lei!
    tonho | 22.10.2010 | 00.13Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Este granda SÉRIO, tem toda a razão, em querer escravos a trabalhar à borla para ele.
    granda ladrão | 21.10.2010 | 23.25Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE