PUBLICIDADE
Relatório da Transparência Internacional

Angola está entre os 11 países com maior índice de corrupção

26 | 10 | 2010   09.26H

No documento, intitulado “Índice de Percepção da Corrupção (IPC) 2010”, a Transparência Internacional determinou que a pontuação do ranking varia de 10 (livre de corrupção) a zero (altamente corrupto).

O documento avaliou o grau de corrupção no sector público em 178 países.

Angola obteve 1.9 pontos, a mesma pontuação obtida no relatório do ano passado, mas a prestação de alguns países foi considerada melhor do que a sua neste último documento, levando o país africano a cair no ranking (do 162º lugar para 168º).

A Região Administrativa Especial (RAE) de Macau, na China, estava posicionada no 43º lugar (5.3 pontos, em 2009, e este ano, entretanto, caiu para a 46ª posição (5.0 pontos) do ranking.

Os demais países lusófonos melhoraram a sua posição no ranking, relativamente ao ano passado, como é o caso de Portugal, que passou do 35º lugar (5.8 pontos) para o 32º (6.0).

Cabo Verde subiu da 46ª (5.1 pontos) posição para 45º (5.1), conseguindo ascender na tabela devido a má prestação de outros países, já que a pontuação é idêntica nos dois relatórios mais recentes.

O Brasil avançou do 75º lugar (3.7 pontos) para 69º (3.7), obtendo uma melhor colocação devido à descida de outros países no ranking, apresentando a mesma pontuação do ano passado.

Moçambique evolui na tabela de 130º (2.5 pontos) para 116º (2.7), a Guiné-Bissau passou de 162º (1.9) para 154º (2.1), Timor-Leste de 146º (2.2) para 127º (2.5), e Santo Tomé e Príncipe, de 111º lugar (2.8) para a 101ª posição (3.0).

As nações que estão melhor colocadas na tabela são Dinamarca, Nova Zelândia e Singapura, todas no 1º lugar, com 9.3 pontos, seguidas da Finlândia (9.2) e Suécia (9.2).

O país mais corrupto do mundo, segundo o ranking, é a Somália (1.1 pontos), seguida da Birmânia (1.4), Afeganistão (1.4) e Iraque (1.5).

O IPC é um indicador agregado, que combina diferentes fontes de informação sobre a corrupção, tornando-se possível fazer comparações entre países.

Os resultados de 2010 são provenientes de pesquisas e avaliações publicadas entre Janeiro de 2009 e Setembro de 2010.

Destak/Lusa | destak@destak.pt

2 comentários

  • O que esperavam, aprenderam com aqueles que lhe deram a independência, os livros são os mesmos, mas aqui em Portugal os livros foram aperfeiçoados e cada vez roubam mais estes governantes da treta.
    intransigente | 26.10.2010 | 10.47Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Qual quê...Filhos da Mãe...eram os Portugueses que fizeram daquela zona uma zona moderna e próspera...Mas eram Fascistas...segundo os seus detractores...
    4ª. Classe Salazarista | 26.10.2010 | 09.30Hver comentário denunciado
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE