Cinema

Críticos dos EUA destacam filmes de Pedro Costa, Miguel Gomes e Manoel de Oliveira

15 | 12 | 2010   21.32H

Na lista de 25 filmes da Slant, hoje divulgada, “Aquele Querido Mês de Agosto”, de Miguel Gomes, surge em 22.º lugar, “Singularidades de uma Rapariga Loura”, de Manoel de Oliveira, em 15.º, e “Ne Change Rien”, de Pedro Costa, em 12º.

O filme grego “Dogtooth” é o melhor do ano para os críticos da Slant, que elegeram também “Ghost Writer” (Roman Polanski) e Lourdes (Jessica Hausner) para o “top 3”.

Na revista Some Came Running, “Ne Change Rien” é o único filme português a entrar no top 20, na 18.ª posição.

O filme de Pedro Costa, com a actriz francesa Jeanne Balibar, estreou em novembro no Estados Unidos, onde foi exibido em cinco cidades.

Narra o trabalho de um grupo de músicos de rock, desde as ideias e da composição até aos ensaios, às gravações e aos concertos.

Foi ainda mostrado num festival em Nova Iorque, “All Tomorrow´s Parties”, cuja programação de cinema foi seleccionada este ano pelo realizador norte-americano Jim Jarmusch.

A revista The New Yorker foi a mais generosa para com os cineastas portugueses, considerando “Singularidades de uma Rapariga Loura” o 8.º melhor filme do ano, “Aquele Querido Mês de Agosto” o 10.º, logo seguido pelo filme de Pedro Costa.

Para a influente publicação nova-iorquina, o melhor filme do ano foi “Shutter Island”, de Martin Scorcese, seguido de “The Social Network” e “Somewhere”.

Ao longo do ano, a New Yorker deu destaque aos filmes portugueses, com o crítico Richard Brody a descrever a segunda longa metragem de Miguel Gomes como “distintamente moderna, com um populismo sincero e clarividente”.

Rodado numa aldeia de Arganil, o filme combina a história ficcionada de uma família de músicos com um documentário sobre os festivais de verão de música popular e outros hábitos da região, e ainda com um relato das dificuldades de produção do filme.

“Aquele Querido Mês de Agosto” esteve em exibição na Anthology Film Archives, a “cinemateca” de Nova Iorque, e no Harvard Film Archives, juntamente com outros filmes de Miguel Gomes, como “A Cara Que Mereces” e “Entretanto”.

Também o suplemento de artes do New York Times dedicou uma página aos “pós-documentários” de Gomes e outros realizadores dentro do mesmo género, como C.W. Winter.

“’Aquele Querido Mês de Agosto’ é ao mesmo tempo um musical, um diário de bordo, um melodrama familiar quase incestuoso, um retrato etnográfico das tradições populares portuguesas e da sua própria produção caótica”, refere o artigo de Dennis Lim.

Ainda em 2010, o falecido cineasta foi João César Monteiro objecto de retrospectivas em Boston e em Nova Iorque.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE