PUBLICIDADE
Lisboa

Professores preparam "grande manifestação de rua" para Março

06 | 01 | 2011   19.47H

A revelação foi feita à agência Agência Lusa por Mário Nogueira, secretário-geral da Federação Nacional dos Professores (Fenprof), no final de uma reunião do Secretariado Nacional daquela organização em Lisboa.

Mário Nogueira referiu que após receberem os seus "salários cortados", "perceberem que não estão a progredir na carreira" e que "muitos não voltam a ser professores", vai instalar-se na classe uma "revolta", devendo a contestação resultar numa "manifestação a nível nacional de todos os professores" em Lisboa.

A manifestação deverá ocorrer em março, mas o dirigente sindical não afastou a hipótese de poder vir a ser antecipada para fevereiro, devido à severidade das medidas.

A Fenprof vai reunir com os restantes sindicatos de professores e também tem agendada uma reunião a 13 de janeiro com associações de pais e de estudantes para encontrar "espaços de convergência" em defesa da escola pública.

O dirigente da Fenprof observou que a escola pública está a sofrer diversos "ataques" e que vai ser "muito mais mal financiada" do que a escola privada, sendo "fundamental" neste momento defender o ensino público.

Preocupada sobretudo com o problema do emprego dos professores, a Fenprof vai desenvolver uma série de iniciativas junto das escolas, com colocação de faixas a lembrar que o Governo quer despedir professores que fazem falta aos alunos.

A Fenprof entregou também uma petição no Parlamento com vários milhares de assinaturas pela realização de um concurso de fixação de professores, destinado a que contratados possam entrar nos quadros e movimentarem-se entre escolas.

Os professores vão também ser convidados a subscrever um postal dirigido à ministra da Educação no mesmo sentido, estando prevista uma concentração dia 03 de fevereiro em frente do Ministério dirigido por Isabel Alçada.

Entretanto, várias providências cautelares já foram interpostas nos tribunais administrativos contra os cortes salariais e outras tantas darão entrada muito em breve, numa acção a decorrer no plano legal e que a Fenprof acompanhará "de perto".

Mário Nogueira alertou que os cortes nos salários resultam de uma medida inconstitucional, pois as questões salariais são objecto de "negociação obrigatória" e estão contidos num acordo firmado entre os sindicatos dos professores e o Ministério da Educação em 08 de janeiro de 2010 e que era para vigorar nos próximos quatro anos.

"Para fazer uma alteração dos salários não basta dizer que o país está em crise", concluiu.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
Foto: Tiago Petinga/Lusa
Professores preparam "grande manifestação de rua" para Março | © Tiago Petinga/Lusa

8 comentários

  • Que cada cidadão saiba ocupar o seu lugar.
    Não sou professor, mas se podesse era, infelizmente, quando era rapaz tinha de trabalhar e levar com os chatos dos professores
    Mas na escola é o ensino e em casa a educação, por isso acho e bem que os professores façam valer os seus direitos, porque tenho a certeza, se não fossem vocês a desgraça seria maior
    Fernando | 07.01.2011 | 21.05Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Sem nenhuma intenção de censura directa ou indirecta e como lidei durante uma vida inteira com Tintas, Corantes, Ácidos e Sodas, Cloretos e Tetracloretos, penso que o facto do Homem de hoje pintar o Cabelo de Negro azeviche, (ele não consegue distinguir a cena que faz...?) pode ser nefasta para a Massa Encefálica... Vejam aqui ao lado da página a Angelina...mas numa mulher ainda se tolera, quiçá pelas Feromonas, não sei...
    4ª. Classe Salazarista | 07.01.2011 | 09.00Hver comentário denunciado
  • Ó JOAQUIM ANTÓNIO RODRIGUES, tens razão, QUANDO DIZES CRIANÇAS DO MEU PAIS, FUJAM DE PROFESSORES DESTES, Não sabes ensinar e o exemplo que dás aos teus alunos é o da censsura, como fizeste aqui censsurar o comentário voz do povo.Temos os piores professores da U.Europeia. Os alunos portugueses são os que tem piores resultados. Isto diz a qualidade dos professores. Os professores portugueses são a classe profissional que tem maiores vencimentos que os seus congeneres de Inglaterra, frança, Alemanha etc. Estes senhores só sabem fazer greves sempre para melhores vencimentos ou regalias. Que democracia é esta em portugal os que tem poser reenvindicativo os governos dão-lhe tudo, aqueles que não se conseguem unir para fazer greves estão sempre por baixo, isto não é democracia, ou os politicos mudam de atitude ou o povo mais cedo ou mais tarde, vai revoltar-se, porque farta-se de trabalhar e pagar impostos, para estes senhores terem todas as regalias e grandes vencimentos.
    voz do povo | 06.01.2011 | 22.40Hver comentário denunciado
  • E o docente disse para o discente:
    Meu menino, já lhe disse e não volto a repetir . . . !
    Um docente não tem nada a ver com "doçura" no ensino . . . !
    alexandre barreira | 06.01.2011 | 21.57Hver comentário denunciado
  • JOAQUIM ANTÓNIO RODRIGUES, tens razão, QUANDO DIZES CRIANÇAS DO MEU PAIS, FUJAM DE PROFESSORES DESTES, Não sabes ensinar e o exemplo que dás aos teus alunos é o da censsura, como fizeste aqui censsurar o comentário voz do povo.Temos os piores professores da U.Europeia. Os alunos portugueses são os que tem piores resultados. Isto diz a qualidade dos professores. Os professores portugueses são a classe profissional que tem maiores vencimentos que os seus congeneres de Inglaterra, frança, Alemanha etc. Estes senhores só sabem fazer greves sempre para melhores vencimentos ou regalias. Que democracia é esta em portugal os que tem poser reenvindicativo os governos dão-lhe tudo, aqueles que não se conseguem unir para fazer greves estão sempre por baixo, isto não é democracia, ou os politicos mudam de atitude ou o povo mais cedo ou mais tarde, vai revoltar-se, porque farta-se de trabalhar e pagar impostos, para estes senhores terem todas as regalias e grandes vencimentos.
    voz do povo | 06.01.2011 | 21.52Hver comentário denunciado
  • SÃO SEMPRE OS MESMOS LAMBE BOTAS A ATACAR QUEM TRABALHA, DEPOIS DIZEM QUE OS NOSSOS JOVENS NÃO TÊM BOM APROVEITAMENTO ESCOLAR. A VOZ DO POVO E O MANEL DEVEM ESTAR BEM NA VIDA, OU ENTÃO ESTÃO A PRESTAR UM SERVIÇO A ALGUÉM QUE FUTURAMENTE PODE SER BEM REMUNERADO, MAS COM A CONDIÇÃO DE DENEGRIREM QUEM TRABALHA, NÃO PODEM TOCAR NA GOVERNAÇÃO, MESMO A CHEIRAR MAL COMO CHEIRA, DEPOIS CRIANÇAS DO MEU PAÍS FUJAM DE PERTO DESTA GENTE, POIS SÓ VÃO APRENDER MAUS EXEMPLOS, E VOCÊS TÊM QUE SER GENTE COM CREDIBILIDADE NO AMANHÃ.
    joaquim antónio rodrigues | 06.01.2011 | 21.30Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Apoiado, Voz do Povo! Quem é que pode comprar roupinha nas lojas de marca? E quem tem 3xmais férias do que qualquer comum trabalhador? E quem tem os melhores carritos, quem é? Quem é que vai passar férias para o estrangeiro 1 ou duas vezes por ano quem é? Ai queixam-se agora? Qual será o mal que os afetará? Este presidente do sind. deve ser pobrezito deve!!!! Trabalhem mais e falem menos. É disto que o país necessita.
    manuel dos santos | 06.01.2011 | 21.06Hver comentário denunciado
  • Temos os piores professores da U.Europeia. Os alunos portugueses são os que tem piores resultados. Isto diz a qualidade dos professores. Os professores portugueses são a classe profissional que tem maiores vencimentos que os seus congeneres de Inglaterra, frança, Alemanha etc. Estes senhores só sabem fazer greves sempre para melhores vencimentos ou regalias. Que democracia é esta em portugal os que tem poser reenvindicativo os governos dão-lhe tudo, aqueles que não se conseguem unir para fazer greves estão sempre por baixo, isto não é democracia, ou os politicos mudam de atitude ou o povo mais cedo ou mais tarde, vai revoltar-se, porque farta-se de trabalhar e pagar impostos, para estes senhores terem todas as regalias e grandes vencimentos.
    VOZ DO POVO | 06.01.2011 | 20.33Hver comentário denunciado
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE