PUBLICIDADE
Egipto

Oito portugueses "retidos" no aeroporto do Cairo há 24 horas

30 | 01 | 2011   21.51H

Isabel Guerreiro é uma dos portugueses que saiu no sábado de Lisboa num voo da Egyptair com destino à Tailândia e que fez escala no Cairo, capital que vive dias de tensão com as manifestações antigovernamentais.

“O voo para Banguecoque devia ter saído ontem [sábado] às 22:40 locais (20:40 em Lisboa). Não partiu e ninguém nos dá informações. É a segunda noite que vamos dormir no aeroporto sem condições nenhumas”, relatou.

Segundo esta portuguesa, integrada num grupo de oito pessoas, os passaportes “ficaram retidos” no balcão do «check-in», o que os impede também de sair do aeroporto.

“Continuam aviões a chegar e a partir daqui do aeroporto e a nós nada nos dizem. Eu e a minha mãe, que está em Portugal, já tentámos falar para o consulado português e nunca conseguimos”, adiantou Isabel Guerreiro.

Esta é a segunda noite que estes oito portugueses se preparam para passar no aeroporto da capital do Egito.

Caso na segunda-feira não recebam informações sobre o voo que os levaria a Banguecoque, Isabel Guerreiro disse que vão tentar apanhar o primeiro avião que consigam com destino a um país europeu.

Hoje à tarde, a Secretaria de Estado das Comunidades disse ter recebido três pedidos de ajuda de cidadãos portugueses que querem sair do Egito, disse à Lusa fonte oficial.

De acordo com o porta-voz do secretário de Estado das Comunidades, está montado no aeroporto do Cairo um balcão único de atendimento consular da União Europeia.

A Secretaria de Estado das Comunidades acrescentou que estão registados cerca de 100 portugueses residentes no Egito, não sendo possível adiantar o número de turistas.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) lembrou hoje em comunicado que estão desaconselhadas quaisquer deslocações ao Egito por motivos de segurança, devido às manifestações antigovernamentais dos últimos cinco dias.

O MNE lembra que a embaixada portuguesa no Cairo está em contacto com os portugueses que residem ou que estão de férias no país.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE