segurança

Criminalidade geral aumenta em Portugal

25 | 03 | 2008   15.55H

Apesar de se verificar um aumento da criminalidade em geral, o Relatório revela que a considerada violenta e grave baixou 10,5%.

O Relatório menciona ainda que a criminalidade aumentou em postos de combustível e nas estações de correio.

Corrupção e tráfico de armas aumentam

Entre os crimes cujos números aumentaram destacam-se a corrupção, o tráfico de armas proibidas e o roubo por esticão. Aliás, os maiores aumentos verificaram-se mesmo nestas duas áreas: a detenção e tráfico de arma perigosa, subiu 20% (de 1204 em 2006 para 1441 em 2007) e a corrupção em 10,5%. A acompanhar esta tendência está também o aumento da criminalidade geral, que registou 391 611 crimes, mais 526 do que em 2006.

Entre os números que baixaram destaque para os homicídios, que passaram de 194 para 133, e as violações, desceram de 341 para 306.

Também o sector económico viu o número de crimes aumentar. O crime de extorsão aumentou 19,9% e o de associação criminosa 2,5%. Neste mesmo âmbito, também se verificou um aumento na falsificação do Euro, com mais 18,9% de ocorrências criminosas em 2006.

Também as autoridades não escaparam ao crescimento da criminalidade. Em 2007 verificaram-se 1038 agressões a polícias.

Em relação às cidades mais inseguras, é de salientar a presença das principais cidades portuguesas. Lisboa, Porto, Setúbal, Faro, Braga e Aveiro são os distritos com maior índice de criminalidade, ao mesmo tempo que Braga, Faro e Setúbal foram os que registaram o maior aumento de crimes.

Este Relatório será apresentado na tarde de hoje, com a presença de José Sócrates.

Pedro Junceiro | pjunceiro@destak.pt
Foto: 123RF
123RF | © 123RF

1 comentário

  • COMENTÁRIO:

    O aumento da criminalidade está directamente relacionado com as recentes alterações ao Código de Processo Penal que fizeram com que fossem colocados em liberdade muitos cadastrados perigosos!
    O Governo é o principal responsável por esta situação calamitosa e para tentar remediar o mal que causou com essas alterações legislativas, apresenta agora 15 medidas propagandísticas que se destinam apenas a mascarar a negra realidade e a criar uma falsa sensação de segurança.
    A principal medida a tomar de imediato seria a do alargamento da medida de coacção de prisão prisão preventiva, a todos os crimes violentos sem excepção.
    Outra estratégia a adoptar seria a imediata obrigatoriedade de todos os reclusos prestarem trabalho a favor da comunidade mesmo em meio prisional. Como é sabido os reclusos perdem hábitos de trabalho durante o cumprimento das penas que lhes são cominadas e uma vez em liberdade voltam quase sempre à vida do crime!
    MIGUEL189@YAHOO.COM | 25.03.2008 | 17.20H
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE