PUBLICIDADE
Eleições

Sócrates considera "praticamente impossível" cenário de um partido com maioria absoluta

25 | 05 | 2011   21.16H

O secretário-geral do PS justificou hoje que não pede aos eleitores uma segunda maioria absoluta porque todos os estudos de opinião afastam claramente esse cenário, quer para o seu partido, quer para o PSD.

Destak/Lusa | destak@destak.pt

A posição de José Sócrates foi assumida em declarações à RTP, antes do comício que o PS fará esta noite em Ponta Delgada.

“Todos os estudos de opinião são unânimes em considerar que será praticamente impossível um partido obter maioria absoluta. Por isso, ao longo desta campanha, tenho-me esforçado por criar um clima propenso ao entendimento e ao compromisso, porque é isso que os portugueses esperam e acho que é isso que o país necessita”, disse.

Interrogado se o PS vai excluir o PSD de um possível entendimento, José Sócrates respondeu ao jornalista da RTP: “desculpe-me, eu não antecipo cenários, pela simples razão que temos de deixar primeiro o povo falar”.

Confrontado com a dúvida do presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, sobre onde José Sócrates vai buscar dinheiro para continuar a fazer os investimentos públicos que promete, o secretário-geral do PS respondeu que o líder social-democrata “é rápido a fazer acusações e muito lento a apresentar os seus pontos de vista e argumentos”.

“O PS tem-se apresentado como uma força de governação responsável e moderada”, disse.

Saiba mais sobre:

1 comentário

  • 18milhões de euros gastos em eleições para chegarmos a esta conclusão. Os politicos parecem crianças amuadas.
    antónio moreira | 25.05.2011 | 23.56Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE