PUBLICIDADE
Mladic

Milhares de pessoas concentradas em Belgrado para contestar detenção de ex-líder militar

29 | 05 | 2011   20.16H

Perto de 10 mil pessoas, segundo a polícia, concentraram-se hoje no centro de Belgrado, Sérvia, para protestar contra a detenção do ex-líder militar dos sérvios na Bósnia Ratko Mladic, acusado de crimes de guerra.

Destak/Lusa | destak@destak.pt

O protesto, acompanhado por um forte dispositivo policial, foi convocado pelo Partido Radical Sérvio (ultra nacionalista).

Muitos manifestantes envergavam t-shirts com o rosto do ex-líder militar e com frase “Mladic, um herói sérvio”, segundo testemunharam os jornalistas da agência noticiosa francesa AFP.

Outros, localizados na fila da frente do protesto, exibiam uma grande bandeira branca também com a cara de Ratko Mladic.

A manifestação ocorreu em frente da sede do Parlamento sérvio, no centro de Belgrado.

“Lamento verdadeiramente que não estejam aqui mais pessoas”, afirmou à AFP Zivorad Radovanovic, 59 anos, que veio de um subúrbio operário localizado perto da capital sérvia.

“Quando os generais croatas foram condenados em Haia [no Tribunal Penal Internacional para a antiga Jugoslávia], o povo da Croácia esteve presente e agora basta olhar em volta. É uma traição”, acrescentou Radovanovic, recordando os cerca de 30 mil manifestantes que saíram à rua em meados de abril na Croácia para protestar contra a condenação de dois ex-militares croatas.

Cerca de três mil agentes, incluindo da unidade anti-motim, foram mobilizados para acompanhar a manifestação e evitar possíveis incidentes, nomeadamente envolvendo grupos extremistas.

Em junho de 2008, a detenção do antigo líder político dos sérvios da Bósnia Radovan Karadzic, também acusado de diversos crimes, incluindo genocídio, originou violentos distúrbios na Sérvia, que fizeram um morto e diversos feridos.

Também hoje, cerca de três mil apoiantes de Mladic viajaram até Kalinovik, a terra natal do ex-líder militar localizada na região leste da Bósnia, para protestar contra a detenção.

Alguns visitaram a casa onde Mladic nasceu e falaram com alguns familiares do antigo general.

O ex-líder militar sérvio foi detido na quinta-feira na aldeia de Lazarevo, no norte da Sérvia.

O Tribunal Penal Internacional para a ex-Jugoslávia (TPIJ) exigia desde 1995 a detenção de Ratko Mladic pelo papel que desempenhou durante a guerra da Bósnia (1992-1995).

Mladic, que se encontrava em fuga há 16 anos, foi formalmente acusado de crimes de guerra, crimes contra a humanidade e genocídio, nomeadamente pelo papel no massacre de Srebrenica (Bósnia), no qual cerca de 8.000 homens e rapazes muçulmanos foram mortos, e pelo cerco de Sarajevo.

Saiba mais sobre:
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE