Eleições

“No momento em que o entregares a José Sócrates, o voto passou a ser contra ti” – Louçã

31 | 05 | 2011   20.25H

Depois da tradicional arruada pela baixa lisboeta, o coordenador do Bloco de Esquerda, Francisco Louçã, apelou à “decisão”, avisando que, no momento em que voto for entregue a José Sócrates, passa a ser “contra” a própria pessoa.

Destak/Lusa | destak@destak.pt

A arruada começou apenas cinco minutos depois da hora marcada, com Francisco Louçã acompanhado pelo eurodeputado Miguel Portas e pelos deputados e de novo candidatos ao lugar, pelo círculo eleitoral de Lisboa, Helena Pinto e Luís Fazenda.

Ao som das frases de ordem “FMI, fora daqui” e “Sócrates e Passos vão ver se chove, não queremos voltar ao século 19”, os apoiantes do Bloco de Esquerda – munidos das coloridas bandeiras do partido - saíram da Praça Camões, tendo descido as rua Garrett e do Carmo, atravessando o Rossio para terminar na Rua Augusta.

Louçã ia à frente, ziguezagueando pelas ruas para cumprimentar quem passava, entregando o jornal de campanha e ouvindo sempre tudo quanto lhe diziam ou perguntavam.

E nas janelas, foram muitos os que cumprimentaram o líder do bloco, tendo este olhado para cima e devolvido todos os acenos.

Já na Rua Augusta, e antes do discurso que proferiu com uma tela de fundo do Bloco, Louçã encontrou um abstencionista por estar desiludido com o país, por não acreditar que seja possível mudar.

E Louçã, como aliás em todos os seus discursos, apelou, de forma pessoal, a que entendesse que o voto era a sua arma e que o atribuísse a quem defende pensões, reformas e a economia.

No discurso, o líder do Bloco afirmou que “aquilo em que é preciso refletir até ao momento em que se contarem os votos” é em decidir.

“Vamos perguntar agora a cada pessoa, uma a uma: amigo, o que é que vais fazer do teu voto? (…) no momento em que o entregares a José Sócrates, o voto passou a ser contra ti”, disse.

Segundo Louçã, o voto deve ser “numa esquerda determinada, de valores, de responsabilidade, de compromisso com o emprego” que é a “força que o Bloco de Esquerda traz ao nosso país, contra a bancarrota”.

“Esse voto chama-se decisão. Decisão pela justiça, por ti e por todos. Decisão, agora é decidir”, reforçou.

Saiba mais sobre:
Foto: Lusa
“No momento em que o entregares a José Sócrates, o voto passou a ser contra ti” – Louçã | © Lusa

1 comentário

  • EU TINHA VERGONHA DE DIZER UMA COISA DESSAS. QUEM FEZ AS REFORMAS QUE HÁ MUITO DEVERIAM TER SIDO FEITAS? FOI VOCÊ?? QUEM MODERNIZOU O PAÍS? FOI VOCÊ?? QUEM FEZ AS REFORMAS NA EDUCAÇÃO? FOI VOCÊ?? QUEM DEU ALTERNATIVAS PARA AJUDAR NESTA CRISE INTERNACIONAL? FOI VOCÊ??? O SR. NUNCA FEZ NADA E SABE QUE NUNCA FARÁ GOVERNO. DEVIA ESTAR COM A ESQUERDA EM VEZ DE A ATACAR. QUE VERGONHA!!! VIVA PS E VIVA PORTUGAL LIVRE E DEMOCRÁTICO.
    LINA | 01.06.2011 | 11.03Hver comentário denunciado